(03/04/06) O diretor de engenharia da TV Globo, Fernando Bittencourt, descartou hoje a possibilidade de transmissões comerciais da TV digital ainda neste ano, como desejava o governo.

Segundo ele, a demora na escolha do sistema de modulação que será utilizado na digitalização da TV aberta brasileira vai impedir que as transmissões sejam iniciadas em setembro, como vinha sendo planejado pelo Ministério das Comunicações.

No início do ano, o governo chegou a anunciar que as emissoras fariam testes em junho, durante a Copa do Mundo, e iniciariam as transmissões comerciais nas principais capitais do país em setembro.

A decisão do governo, prevista inicialmente para o início de fevereiro, foi adiada para a primeira quinzena de março, mas acabou não sendo oficializada até hoje. Um grupo de ministros negocia contrapartidas com representantes do sistema japonês (ISDB), europeu (DVB) e americano (ATSC).

Segundo previsão de Bittencourt, que também representa a SET (Sociedade Brasileira de Engenharia de Televisão e Telecomunicações), a TV digital neste ano ficará restrita a demonstrações para poucos receptores.

O diretor da Globo explicou que as emissoras estão se preparando para colocar a TV digital no ar em setembro, mas essas demonstrações seriam feitas apenas em São Paulo, como teste.

Ele explicou que as emissoras de TV precisariam de um ano a um ano e meio para iniciarem as transmissões digitais comerciais. “A gente já sabe que não dá tempo mais de ter aparelho de consumo no mercado este ano. A gente pode fazer até como demonstração, com poucos receptores”, afirmou.

Um dos entraves para a operação comercial, segundo ele, seria a indústria de receptores (televisores e conversores), que deverá levar um ano para se adaptar e colocar os novos produtos no mercado.

Contrapartidas

O diretor de engenharia da Globo reconheceu que o governo precisa negociar contrapartidas para a indústria nacional, mas criticou o atraso que essas negociações está provocando. “A gente acha que a contrapartida é importante, mas ela não deve ser um aspecto definitivo. Ela não é mais importante do que a escolha do melhor sistema. Ela é um aspecto importante, tem que ser negociada, mas ela não pode ser preponderante sobre a escolha do sistema”, avaliou.

Entretanto, Bittencourt considerou a decisão do comitê de ministros que negocia essas contrapartidas de viajar ao Japão e Coréia positiva. “Esperamos que seja [um sinal” >”, de que o governo optará pelo padrão japonês. “Se estão criando um grupo para ir para o Japão, é porque têm grandes chances [de que a escolha será pelo japonês” >”, afirmou.

O diretor da Globo participou hoje de audiência pública no Conselho de Comunicação Social do Congresso Nacional.

Patrícia Zimmermann, da Folha Online, em Brasília

Compartilhe!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Current month ye@r day *