(31/10/06) Por meio do posto AcessaSP do Poupatempo Santo Amaro e do site de relacionamentos Orkut, a usuária Shirlei da Silva Batista, 27 anos (ao lado, com o filho), enfim pôde reencontrar a irmã Sirlene, 24 anos, e o pai, Adãozinho Pereira Batista, 56 anos.

“Os meus pais se separaram faz 20 anos, e desde essa época não pude ver mais minha irmã e meu pai”, conta Shirlei, que pôde reencontrar pessoalmente a outra parte de sua família no fim de agosto deste ano.

Shirlei, que trabalha num consultório médico próximo ao posto, achava que nunca mais iria reencontrar sua irmã e o pai.

Mas, há pouco mais de um ano, acabou conhecendo o infocentro do AcessaSP, dentro do Poupatempo; e, com a ajuda principalmente dos monitores Wilson (ao lado, com Shirlei) e Sueli, foi aprendendo a usar o computador e a internet. E então ela entrou no site de relacionamentos Orkut, convidada por uma amiga.

“Nem conhecia esse tal de Orkut”, conta Shirlei. Mas acabou sendo útil: acabou reencontrando uma amiga de quando tinha 14 anos, que hoje mora no Rio de Janeiro; e outra que hoje mora no Rio Grande do Sul. Então pensou que também poderia encontrar a irmã, já que estava numa faixa etária comum para pessoas cadastradas no Orkut, geralmente jovens.

Reencontro virtual
Mas não teve sucesso quando foi pesquisar, porque apareceram resultados demais quando tentou colocar o nome da irmã. A surpresa foi que, um dia, uma tal “Sirlei da Silva” acabou a adicionando como amiga no Orkut. “Será que é minha irmã?”, Shirlei se perguntou.

Além do sobrenome comum, ela achou a foto da nova amiga (ao lado) muito parecida com a mãe. Além disso, reparou que Sirlei havia pegado uma foto de sua mãe, que estava no seu álbum do Orkut.

Tentou então conferir se era mesmo a irmã, com recados no perfil dela. Mas não deu certo, porque a Sirlei preferia trocar mensagens de e-mail, e acabaram não se encontrando assim. Reparou que o estava no seu perfil o telefone da casa dela (não está mais). Então telefonou, e enfim conseguiram confirmar que eram irmãs.

Houve certa dificuldade para se encontrarem pessoalmente, até pelos horários de cada uma, mas o patrão de Shirlei lhe deu um dia de licença para poder encontrar sua irmã.

Primeiro encontrou sua irmã, que mora em Santo André. No mesmo dia, foi até a casa do pai, uma viagem bem demorada, já que Shirlei mora em Interlagos, e o pai em Embu-Guaçu: levou 2 horas de viagem. Mas valeu a pena: “Fiquei muito feliz, até chorei!”, conta ela.

Maurício Kanno
AcessaSP Notícias

Compartilhe!
Tagged with:  

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Current month ye@r day *