Posto Acessa Sol Nascente(14/12/06) No final do mês de novembro, uma visita mexeu com a rotina do Acessa do bairro Sol Nascente, na capital paulista. Dois espanhóis, que visitavam o Brasil em lua-de-mel no Rio de Janeiro, estiveram no posto e ficaram impressionados com o projeto de inclusão digital.

O convite para a visita partiu da Associação dos Trabalhadores Sem Terra de São Paulo, da qual a comunidade do Sol Nascente faz parte, e que primeiramente recebeu o casal Anna Garriga Alsina e Jorge Martinéz Lucena. Rosalia Niê da Silva, monitora que os recebeu no Acessa, conta que se surpreendeu quando Anna e Jorge disseram que não havia nada parecido na Espanha. “O legal foi saber que, apesar de todas as desigualdades sociais existentes no Brasil, países riquíssimos como a Espanha vêm ao Brasil conhecer e até mesmo levar a experiência para ser implantada em seus países”, disse ela.

Ana Nascimento de Carvalho Oliveira, a outra monitora do posto, acredita que o que mais deve ter chamado a atenção dos espanhóis, além do projeto em si, é a interação e a troca de vivência que o envolvem. “Aqui, a gente não fica parado, quieto; eu e a Rosália conversamos, vemos o que podemos fazer para melhorar, e conversamos com os usuários também”. Rosália confirma: “Monitor aqui é faxineiro, psicólogo, e até mãe!”

“É uma iniciativa que faz falta às pessoas da região, quando às vezes tem que fechar, seja por causa das férias, seja por falta de luz”, diz Ana, sobre o projeto. “Por aqui quase não há opções de lazer ou cultura, mas tem bastante jovem, e o Acessa é praticamente a única alternativa deles”.

Segundo as monitoras, não é a primeira vez que estrangeiros vão ao posto e mostram interesse pelo AcessaSP. Franceses, italianos e argentinos fazem parte da lista de visitantes que se encantaram com a iniciativa da inclusão digital. Rosália conta que, segundo Anna e Jorge, a inclusão digital na Espanha fica restrita às escolas públicas, de forma que, aqueles que não estiverem estudando, não contam com recurso parecido com o do Acessa.

Ambas se disseram bastante orgulhosas por fazerem parte de um projeto conhecido pelo mundo e que não existe em países considerados desenvolvidos. Mesmo assim, acham que falta muito a fazer, e planejam, para o ano que vem, realizar projetos para a comunidade. Entre eles, oficinas de culinária e de informática para as crianças.
Rosália e Ana
Rosália, de azul, e Ana, monitoras do Acessa Sol Nascente

Por Marina Iemini Atoji, da equipe de conteúdo

Compartilhe!
Tagged with:  

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Current month ye@r day *