(05/02/07 – Terra) A Internet amplia os horizontes de internautas de qualquer idade. Os pais ficam contentes por poder proporcionar aos filhos a enorme porta para o mundo que é a rede, mas a Web também traz perigos – como a pedofilia. O que os pais precisam saber é que eles podem, sim, ajudar suas crianças e prevenir o contato de seus filhos com alguém mal-intencionado.

Os pais devem usar a tecnologia e o conhecimento, mas também a cumplicidade, a conversa e a confiança – afinal, a Internet pode até ser um mistério para eles, mas o filho certamente não é. Confira as dicas:

* Em primeiro lugar, aprenda mais sobre a Internet se você se sente pouco familiarizado. Peça para seu filho ensiná-lo a navegar. Navegue, veja como a rede funciona e o que ela proporciona às pessoas.

* Dedique tempo para navegar com seu filho. Divirta-se com ele pela rede, conheça os sites preferidos, os programas que ele usa e as atividades que faz enquanto está online. Quem sabe você mesmo conseguirá, com o tempo, propor sites e atividades interessantes para a criança na rede.

* Ensine seus filhos a fazerem um uso responsável dos recursos online. Afinal, há muito mais na rede do que salas de chat. Caso encontre algum material ofensivo, aproveite a oportunidade para explicar à criança os motivos de o material ser inapropriado e como ela deve proceder.

* Fale às crianças sobre a pedofilia, explique que há homens e mulheres mal-intencionados na Internet. Aproveite para passar a velha idéia do “não fale com estranhos”, que pode ser muito bem aplicada à comunicação virtual: ensine a criança a não fornecer informações pessoais como nome, endereço e escola em que estuda em conversas pela Internet, a não enviar fotos para pessoas que conheceu pela Internet e a não receber dessas pessoas nenhum tipo de arquivo.

* Conheça os amigos que a criança faz no mundo virtual. Assim como podem surgir boas e duradouras amizades, também podem aparecer pessoas com más intenções. Explique a ela que as coisas vistas e lidas na Internet podem ser verdade, mas também podem não ser.

* Não permita que seus filhos marquem encontros com desconhecidos com quem travaram contato pela Internet sem o seu conhecimento. Se você permitir que o encontro seja marcado, que seja em um local público. E, claro, acompanhe seu filho.

* Evite colocar o computador no quarto dos seus filhos. Dê preferência à sala ou a algum outro cômodo da casa que proporcione a navegação à vista da família e a livre circulação no ambiente. Isso dificulta o acesso do pedófilo à criança.

* Converse e estabeleça regras e limites para o uso da Internet, adequadas à idade da criança. Fixe um horário ou tempo limite de acesso, converse sobre os sites e serviços que ela pode ou não pode usar e explique o motivo. Monitore o uso de salas de bate-papo e de comunicadores instantâneos.

* Use os recursos que seu provedor de acesso puser ao seu dispor para bloquear o acesso a todo e qualquer site ou conteúdo que considere inapropriado para o seu filho. Você também pode utilizar programas de filtragem de conteúdo que estão disponíveis na Internet.

* A comunicação é fundamental. Mais do que qualquer programa ou filtro, a conversa sincera entre pais e filhos ainda é a melhor arma para enfrentar os perigos da pedofilia – e muitos outros.

Pais devem familiarizar-se com a Internet

Confira as definições a seguir, e familiarize-se um pouco mais com o universo da Internet.

Chat - são as famosas salas de bate-papo, nas quais as pessoas escolhem um apelido para se identificar e podem ficar conversando em tempo real com outras. Costumam ser divididas por assuntos e constituem-se em um dos meios mais fáceis para que os pedófilos cheguem às vítimas em potencial. Os criminosos costumam fingir que também são crianças ou pré-adolescentes para estabelecer contato e ganhar confiança. Nas salas, além de bater papo, é possível trocar arquivos (como fotos).

Messenger - também chamados de mensageiros ou comunicadores instantâneos, são utilizados pela grande maioria das crianças e adolescentes que navegam na Internet. O MSN, da Microsoft, é o mais popular, mas existem outros como o AIM (da America OnLine), ICQ e Yahoo Messenger. Esses serviços também permitem a troca e o envio de arquivos e fotos.

Blog e Fotolog - verdadeiras “febres”, nove em cada dez pré-adolescentes têm hoje seu blog e/ou seu flog – o décimo já está providenciando o dele. O blog é o velho diário transposto para a Internet: são páginas pessoais que podem ser atualizadas sempre que o usuário queira, com textos, imagens, links, e que ficam acessíveis a todo mundo que navega na Web. O Fotolog segue o mesmo princípio, com ênfase nas imagens. Existem muitos desses serviços gratuitos na Web, além dos espaços oferecidos pelos portais.

Redes de relacionamento - são serviços nos quais se entra por meio de convite e onde se cria uma página pessoal. É possível colocar fotos e, ainda que o usuário possa restringir algumas coisas, a exposição é direta: tudo fica à vista dos outros integrantes do serviço. No Brasil, o Orkut é, de longe, o mais popular, embora existam outras como Gazzag, MSN Spaces, LinkedIn (mais voltado para o lado profissional) e Friendster.

Conheça os sinais que podem indicar problema

Os pais devem prestar atenção, se:

* o filho passa muito tempo online sozinho, principalmente à noite;
* encontrarem pornografia no computador utilizado pela criança;
* o filho recebe ligações telefônicas de adultos que a família não conhece, ou se ele está fazendo ligações, às vezes de longa distância (interurbanos), para números que igualmente não conhecidos;
* o filho recebe e-mails, presentes ou pacotes de alguém que a família não conhece;
* o filho desliga o monitor ou muda rapidamente o que está na tela do computador quando alguém se aproxima;
* o filho começa a ficar afastado da família;
* o vocabulário começar a incluir termos referentes à sexualidade – no caso de crianças menores.

E tenha em mente que, ainda que alguma dessas situações aconteça, não significa necessariamente que seu filho está sendo sexualmente assediado pela Internet. Ele pode estar tendo problemas na escola, por exemplo, ou de relacionamentos com algum amigo no mundo real. Na dúvida, converse com ele.

Da Redação Terra

Compartilhe!
Tagged with:  

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Current month ye@r day *