Por Robson Leandro da Silva
Imagem: thisisforever

Assim como na história de Romeu e Julieta, onde havia uma briga entre duas famílias (a Montecchio de Romeu e a Capuleto de Julieta), houve em São Paulo, no meio do século XVII, uma briga muito parecida com a primeira cena, ato I da famosa peça de teatro escrita por William Shakespeare. As famílias envolvidas eram Pires e Camargo.

De uma lado do ringue, estava Fernando de Camargo, ´´o Tigre´´. Com esse apelido podemos dispensar qualquer descrição, não é mesmo? Do outro lado estava Pedro Taques, que originalmente não tinha o sobrenome Pires, mas era muito próximo dessa família e era considerado como um deles.

A briga entre os dois começou, aparentemente sem nenhum motivo. Mas pelas conseqüências, veremos que seria impossível de se imaginar que teria começado ali o desentendimento entre as duas famílias. Afinal de contas, estamos falando do ano de 1640 e precisamos lembrar que a vila de São Paulo se resumia ao triângulo formado pela igreja da Sé, Páteo do Colégio e a igreja de São Bento.

briga de macacosEstavam Pedro Taques e Fernão Camargo no largo da matriz, onde hoje é a praça da Sé, mais ou menos em frente a porta da igreja. Não se sabe até hoje o que exatamente faziam os dois ali, mas suspeita-se de que o encontro teria sido marcado com antecedência, como nos duelos de filmes de bang-bang. Assim que se encontraram, um provocou o outro, ficaram nervosos e partiram para briga com espadas na em punho.

A briga foi feia. Mas não envolveu só os dois. Aos poucos, os índios que eram escravos de ambas as famílias começaram a se enfrentar ali também. Em seguida, chegaram os parentes de cada um, seguidos de amigos e aliados. Todo mundo gritando, xingando um ao outro e atacando-se com facas e espadas. E a luta não ficou só ali. Conforme o tempo ia passando e o número de aliados de lado a lado aumentando, a briga começou a invadir ruas e becos próximos tomando conta de toda a região da antiga vila de São Paulo de Piratininga.

O cronista que escreveu sobre o conflito disse que os lutadores iam percorrendo a vila em círculo. Se houvesse carrossel naquela época, certamente essa seria a descrição utilizada por ele. Ainda segundo o cronista ´´ao fim desse vicioso círculo´´, a multidão em guerra voltou ao local de onde a briga tinha começado: a porta da igreja da Sé.

Morreram muitos índios e aliados de ambos os lados, mas Pedro Taques e Fernão Camargo ficaram ilesos. Um ano depois, Pedro estava conversando com um amigo no mesmo lugar onde a briga tinha começado quando Fernão Camargo atacou-o com uma faca, pelas costas. Pedro Taques morreu ali mesmo, na porta da igreja da Sé.

Esses conflitos foram apenas o começo de uma guerra que marcou profundamente a história da então vila de São Paulo durante os anos seguintes com episódios tão violentos quanto o que lemos acima.

Compartilhe!
Tagged with:  

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Current month ye@r day *