Por Carlos Ogawa
Ilustração: Danielle Joanes
Em suas andanças pelo centro de São Paulo, caro leitor, por um acaso você passou por um riacho? Notou que ele era amaldiçoado? Não? Nem poderia, pois ele não corre mais pela superfície da cidade.

riach amaldiçoadoMas até o século XIX acreditava-se que o curso d’água que passava por um trecho do rio Anhangabaú, onde hoje temos o cruzamento da rua do Seminário com o Vale do Anhangabaú, era amaldiçoado. Os habitantes de São Paulo da época chamavam a região de Acú, abreviação de Yacuba, em língua indígena ?água amaldiçoada?.

Dizem as histórias contadas na época que todos que bebiam dessa água caíam doentes. E tão grande era a má-fama do riacho que a Câmara Municipal mandou fazer um exame das águas a partir dos padrões científicos da época. O resultado é de que a água não era boa para o consumo, nada muito surpreendente. É importante lembrar que no século XVIII, quando o teste foi feito, o abastecimento de água era feito a partir de fontes e riachos. As famílias que possuíam escravos domésticos os mandavam buscar água nesses locais, e era freqüente que se encontrassem por lá os escravos. Por isso, as fontes costumavam ser movimentadas e divertidas. Contrariando os costumes, esse riacho amaldiçoado não deveria ser muito movimentado, devido às histórias sobre a maldição, mas mesmo assim sua água não era boa para ser consumida.

A fama de amaldiçoado, porém, não foi levada em conta pela Igreja, que construiu ali um seminário. A função principal do seminário era educar jovens órfãs. Além disso, as reformas feitas no Centro de São Paulo nos séculos XIX e XX canalizaram os rios do centro, o Tamandateí e o Anhangabaú, e o riacho sumiu. A rua do Acú passou a chamar-se Rua do Seminário das Educandas por conta de uma lei aprovada pela Câmara Municipal em 1865. Hoje a conhecemos como Rua do Seminário e lá encontramos uma das mais antigas lojas de chapéu da cidade.

Links e referências:

Aprenda450Anos

Dicionário de Ruas

SANT’ANNA, Denise Benuzzi. São Paulo das Águas. Tese de Livre-Docência. PUC-SP. São Paulo: Departamento de História. 2004.

Compartilhe!
Tagged with:  

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Current month ye@r day *