Alessandro, monitor de Itaporanga, conta como desenvolveu o SGA e sua participação na Rede de Projetos.

O trabalho de monitor do AcessaSP, como agente de inclusão digital, envolve diversas atividades, como dar suporte ao usuário, explicar as regras do programa, dar dicas, promover o Posto, entre muitas outras coisas. Além de tudo isso, uma das principais atribuições do monitor é fazer o controle dos atendimentos, necessário para garantir o direito de todo cidadão a usar os computadores. Esse controle demanda muita atenção: são muitos atendimentos, todos os dias, que precisam ser organizados pelo monitor, com o sistema instalado nos computadores. O controle manual, além de demandar muito tempo, muitas vezes acabava resultando em problemas, devido à grande quantidade de pessoas. Foi aí que Alessandro Ramos dos Santos, também conhecido como lee.rain, monitor de Itaporanga, começou a trabalhar em um modo de tornar esse controle melhor.

“Fazer essas anotações numa folha de papel começou a ficar pouco prático. Então, contruí uma planilha onde a cada acesso, eu inseria os dados”, conta o monitor. Mas ainda não era suficiente. Quando a conexão caía, era necessário reiniciar o computador, muitas vezes quando o usuário estava no meio do atendimento, que então começava a ser contado do zero de novo. A situação causava constrangimento com as pessoas que estavam na fila, que precisavam esperar mais.

Foi assim que Alessandro começou a colocar na planilha também a hora de início do acesso. Quando, no final de 2006, a planilha estava aperfeiçoada, ele resolveu compartilhá-la com outros monitores. Mas manter a ferramenta atualizada como ele queria era complicado, porque ele não tinha como saber quem ou quantas pessoas estavam usando.

Essa planilha e o sentimento de querer continuar trabalhando nela foram a semente do que viria a ser o Sistema Gerenciador de Atendimentos, o SGA. Alessandro conhecia PHP (linguagem de programação usada principalmente na internet) e MySQL (uma linguagem de banco de dados), resolveu fazer uma “versão online da planilha”, para saber quem a utilizava e garantir que todos estavam sempre com a versão mais atualizada.

Depois de quase seis meses desenvolvendo o sistema online, o monitor começou a utilizá-lo no Posto de Itaporanga, onde trabalha. Quando achou que ele estava pronto para ser utilizado por outras pessoas, convidou os usuários da antiga planilha para usar o sistema. A novidade fez sucesso. Hoje são 12 postos do AcessaSP que utilizam o SGA: Jales, Presidente Alves, Presidente Epitácio, São Luís do Paraitinga, Planalto, Paraguaçu Paulista, Analândia, Itaoca, Pindamonhangaba 2, Ibirarema, Juquiá e Guareí .


Itaporanga, em vermelho, e os demais postos colaboradores, em azul

Para que o SGA mantenha-se como um sistema útil aos usuários, Alessandro resolveu utilizar a Rede de Projetos. Depois de tocar o sistema sozinho desde o começo, ele espera trabalhar no SGA em equipe. “Tenho bastante expectativa de que alguém entre no projeto e ajude a construir melhor a interface. Também seria ótimo ter outro programador para dar manutenção no código”, conta.

Com a colaboração da Rede de Projetos, Alessandro espera encontrar interessados em desenvolver o projeto, melhorá-lo e mantê-lo sempre aberto. Hoje, ele conversa com os outros monitores via MSN Messenger, Gtalk e através do chat que ele criou no sistema. No futuro, pretende que a Rede de Projetos ajude a divulgar e melhorar o sistema.

Confira a versão 2.0 do SGA, disponibilizada pelo Alessandro: http://itaporangasp.com/sga/.

Leia também a entrevista completa com Alessandro Ramos sobre o SGA.

Por Felipe Lobo, da equipe do Portal AcessaSP

Compartilhe!
Tagged with:  

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Current month ye@r day *