Foto: Manu M
Vírus, Trojan, Cavalo de Tróia, worm… São muitos nomes de ameaças quando se fala em segurança em computadores e na internet. Por isso, o Navegação Segura elencou os principais termos e explica o que cada um deles significa.


Cavalo de Tróia ou Trojan Horse: esse tipo de ameaça remete ao episódio da Guerra de Tróia, e não por acaso. O Cavalo de Tróia surgiu como forma de simular programas de autenticação em sites em geral, inclusive bancos. Ao simular esses autenticadores, o usuário é enganado, pensa estar usando um programa legítimo e coloca seu nome de usuário e senha. Com esses dados, os criminosos conseguem realizar transações financeiras, compras ou mesmo acessar informações confidenciais de pessoas e empresas.

Correntes de e-mail: esse tipo de mensagem busca fazer rodar pelo maior número possível de pessoas uma mensagem, visando conseguir e-mails válidos – possivelmente usados para spam. os usuários que repasam terão algum tipo de benefício. Se não repassar, a pessoa pode sofrer com “ameaças”. As mensagens usam inclusive da solidariedade e inocência das pessoas para dizer que uma grande empresa ajudará com alguns centavos para cada mensagem repassada (no caso de crianças doentes, por exemplo).

Hoax: o termo significa “mentira”, em uma tradução livre do inglês. Uma prática que tornou comum a divulgação de boatos. Normalmente querem espalhar uma notícias falsa ou alarmar o maior número de pessoas possível. Suas mensagens pedem ajuda (especialmente para doentes e crianças) e para fatos falsos, como a de que o site Domínio Público será tirado do ar se não houver acessos.

Pishing: do inglês, “pescar”, são armadilhas para fazer com que o próprio usuário seja agente do golpe. Os e-mails assumem aspectos de propagandas ou sites e tentam enganar a pessoa para que ela preencha formulários e até faça transferências em dinheiro como “entrada” para receber heranças milionárias de algum país africano.

Spam: com o crescimento da internet e o uso crescente do e-mail, as chamadas mensagens de massa não solicitadas se proliferaram. Usadas como estratégia de marketing por empresas e até por crackers para aplicar golpes, esse tipo de mensagem indesejada se tornou um dos principais problemas dos provedores de e-mail, que criaram diversos filtros para impedir essa prática.

Vírus: o mais conhecido quando se fala em segurança na web surgiu com esse nome em 1983, em um seminário sobre segurança computacional. O vírus tem por característica fazer cópias de si mesmo usando falhas em programas ou no sistema operacional. Os mais comuns são usados para fazer spams ou tentar roubar dados, como nomes de usuário e senhas.

Worm: palavra que significa “verme” em inglês, os worms são programas que se auto-replicam, assim como os vírus. A diferença é que não precisam se um software “hospedeiro”, funcionam como um programa completo.

Compartilhe!
Tagged with:  

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Current month ye@r day *