Modulo 1 trabalha os princípios do Programa e o papel do estagiário no Acessa Escola


Eles vieram de longe e com muita disposição preencheram pouco a pouco as salas de aula da capacitação realizada no último fim de semana (6 e 7 de junho). Ao todo, 2.109 estagiários foram preparados para atuar em escolas da Grande São Paulo e da Diretoria de Ensino de Jundiaí.

Divididos em três oficinas diferentes – Meta-habilidade, Avatar e Tecnosfera – eles tiveram acesso às informações fundamentais para uma boa atuação dentro da sala do Acessa. O encontro teve como principal objetivo oferecer uma visão ampla da dimensão do Programa, além de abordar o papel que se espera de cada um na gestão da sala de internet.

Para a estagiária Tairini Albuquerque, da E.E. Ignês Amélia, de Itapevi, a expectativa com relação ao Programa é muito grande na sua escola, tanto dos alunos quanto da coordenação: “Eu acho que a diretoria espera que o desempenho escolar possa melhorar com o acesso aos computadores. Para os alunos, o Programa também é uma oportunidade de entretenimento, pois muitos não têm o privilégio de ter Internet banda larga em casa. Isso é inovação!”, afirma.

Quando o assunto é inclusão digital, Tairini vai além e acredita que a Internet pode beneficiar pessoas bem distantes da sua própria comunidade: “É muito interessante saber que daqui do Brasil eu posso ajudar uma criança na África, ou plantar uma árvore em algum lugar, a partir de tantos projetos sociais e ambientais que existem hoje na Internet.”

Nossa equipe constatou que a Internet está mesmo na boca dos novos estagiários. A estagiária Gabriela Betel, da E.E. Toufic Joulian, em Carapicuíba, também tem grande afinidade com as novas tecnologias. Como estuda a língua inglesa, tem preferência pelos sites que oferecem a troca de informações com pessoas de outros países: “Conversei com uma menina da Espanha e ela me perguntou coisas sobre o Brasil em inglês. Hoje, quem não está na Internet está desplugado”, conclui.

Em Itapecerica, na E.E. Carlos Alberto, a galera não fica atrás quando o assunto é inclusão digital. A estagiária Leila da Silva Oliveira quer fazer faculdade de Administração e de Informática. Ela usa a Internet não só para pesquisas, mas também para o lazer: “Adoro tudo de tecnologia”, afirma. Kaio de Carvalho também gosta muito de lidar com o computador e pretende seguir este mesmo caminho ao ingressar na universidade. Ele é cadeirante e atuará na E.E. Papa Paulo VI, em Santo André. O estágio no Acessa será o seu primeiro emprego.

As oficinas
As oficinas Avatar e Meta-habilidade foram bastante centradas na construção do papel do estagiário. Além de conhecer com maior profundidade o Manual de Procedimentos apresentado pelos facilitadores, os participantes puderam decidir de maneira coletiva as habilidades mais importantes para lidar com os desafios das salas do Acessa. Entre elas, foram destacadas comunicação, paciência, dinamismo, ética, respeito e bom humor.

Na tecnosfera, eles conheceram os recursos técnicos que os auxiliarão a fazer uma boa administração da sala. Eles navegaram no Blue Control e no ambiente Gestão Online, de forma a aprenderem, na prática, como controlar os computadores, buscar informações importantes sobre o Programa, tirar dúvidas e solucionar problemas. Os estagiários também foram apresentados ao nosso site e ao uso do e-mail com domínio do Acessa.

Jogo do Acessa
Outra atividade interessante foi o “Jogo do Acessa”, idealizado de forma que os participantes pudessem vivenciar cenas da sua nova rotina de trabalho. Em grupos de 7 a 8 pessoas, receberam cartas com situações comuns nas salas do Acessa, como a do famoso “amigo fura-fila” nos momentos em que todas as máquinas estão em uso. Eles representavam as cenas e eram pontuados de acordo com a forma como lidavam com os problemas apresentados.

O facilitador César de Lucca acredita que esta é uma boa maneira de aprender na prática o conteúdo oferecido nas demais oficinas: “Neste jogo eles vivenciam coisas do dia-a-dia e isso poderá ajudá-los a reagir da melhor maneira nos momentos de saia justa dentro da sala.”

A estagiária Lígia Daiane Nunes dos Santos, que atuará na Diretoria de Ensino Guarulhos Norte, acredita que a partir de agora poderá fazer um bom trabalho: “Espero poder conseguir dar todo suporte aos estagiários da minha diretoria. Nas capacitações temos a oportunidade de aprender muita coisa sobre a Internet.”

Agora, os estagiários das Diretorias de Ensino de Caieiras, Carapicuíba, Guarulhos Norte, Guarulhos Sul, Itapecerica da Serra, Itapevi, Itaquaquecetuba, Jundiaí, Mauá, Mogi das Cruzes, Osasco, Santo André, São Bernardo do Campo, Taboão da Serra e Diadema já estão prontos para contribuir com a inclusão digital de milhares de alunos da rede estadual de ensino.

A capacitação foi conduzida pela Escola do Futuro, em parceria com a FDE (Fundação para o Desenvolvimento da Educação), por meio da Secretaria da Educação. Facilitadores da MSTech colaboraram na capacitação sobre o sistema de gerenciamento dos computadores.

Compartilhe!
Tagged with:  

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Current month ye@r day *