São 33 mil vagas para o país todo

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) abre nesta segunda-feira (21) as inscrições para o processo seletivo para 33.012 vagas temporárias para o cargo de agente censitário em mais de 5,5 mil cidades para o Censo 2010. O salário varia de R$ 760 a R$ 1.600 para jornada de 40 horas semanais ( veja aqui o edital ).

O órgão informa ainda que no ano que vem serão abertas outras 200 mil vagas temporárias para o cargo de recenseador. Os contratos duram de seis a 12 meses.

De acordo com o edital do concurso, os contratados, durante a prestação de serviço temporária, serão avaliados mensalmente, observados os seguintes fatores: assiduidade, cumprimento de prazos e produtividade.

O G1 ouviu o IBGE para explicar as atribuições dos cargos, que exigem nível médio de escolaridade, e também especialistas para dar dicas de estudo para a seleção dos agentes, cuja prova será em 6 de dezembro.

As mais de 33 mil vagas são para os cargos de agente censitário administrativo, regional, municipal, supervisor e de informática.

A taxa de inscrição é de R$ 22 para agente censitário municipal, supervisor e de informática, de R$ 18 para agente censitário administrativo e de R$ 30 para agente censitário regional.

As funções do agente administrativo e regional são parecidas: eles vão reforçar a estrutura das agências de coleta do IBGE – pouco mais de 500 pelo país. Cada agência normalmente tem de três a quatro funcionários.

O agente municipal atuará como uma espécie de coordenador dos recenseadores (que serão os responsáveis pela coleta dos dados). Cada um dos 5.565 municípios terá pelo menos um agente municipal – cidades maiores como São Paulo e Rio de Janeiro terão mais de um agente, que ficará também responsável pelo treinamento dos recenseadores.

O agente supervisor irá supervisionar o trabalho e a produtividade dos recenseadores. Já os agentes de informática irão trabalhar na estrutura informatizada da coleta.

De acordo com assessoria de imprensa do IBGE, os agentes censitários começarão a trabalhar antes para entender o sistema e poder treinar os recenseadores.

Dicas de estudo
De acordo com Carlos Alberto De Lucca, coordenador geral do Siga Concursos, para as 33 mil vagas de agente ( veja aqui o edital ), o candidato deve se dedicar igualmente a todas as matérias previstas para cair na prova.

Todos os cargos têm em comum as disciplinas de língua portuguesa, raciocínio lógico e informática. Para essas matérias ele recomenda que sejam feitas provas anteriores da Fundação Cesgranrio, organizadora do concurso, ou de cargos de nível médio do IBGE.

O candidato deve acertar pelo uma questão de cada matéria para não ser eliminado. Além disso, todos os cargos, com exceção do agente administrativo, terão prova de conhecimentos técnicos, cujo conteúdo a ser estudado está em anexo no próprio edital. “É importante que o candidato saiba todo o conteúdo, memorize, faça resumos, crie perguntas e as responda para exercitar a memorização”, diz De Lucca.

Para Lia Salgado, autora do livro “Como vencer a maratona dos Concursos Públicos”, como o estudo dos conhecimentos técnicos terá a mesma fonte para todos os candidatos, ela recomenda pegar o roteiro que está no edital o quanto antes e colocá-lo “debaixo do braço”. Mas ela alerta: “É essencial compreender as informações, caso contrário, fica difícil memorizá-las”.

Segundo ela, fazer exercícios – com consulta – a cada ponto da matéria aumenta significativamente a retenção da informação. Além disso, sublinhar o que for mais importante e fazer esquemas, quadros que organizem as informações, ajudam bastante a fixar os conteúdos.

Lia recomenda fazer um quadro de horários, definir a distribuição de matérias e reservar as duas últimas semanas para revisão dos conteúdos. “Nessa hora, deixe mais tempo para revisar as disciplinas que valerão maior número de pontos na prova”, diz.

Recenseadores
Já o cargo de recenseador, que terá 200 mil vagas no ano que vem, exige nível fundamental. Ele receberá uma lista de endereços e visitará os domicílios para fazer a coleta de dados com computadores portáteis.

O IBGE informa que os recenseadores deverão se inscrever para trabalhar nos locais onde moram – a coleta deverá ser feita o mais perto possível de suas residências para não haver despesas de transporte nem hospedagem. Para esse concurso o IBGE espera 1 milhão de inscritos.

De acordo com a assessoria de imprensa do IBGE, em 2007, para 80 mil vagas de recenseador, foram 750 mil inscritos – foram visitados 34 milhões de domicílios em cidades com até 170 mil habitantes. Já o Censo de 2010 irá visitar os 58 milhões de domicílios do país. Por isso, o número de vagas de recenseadores é maior.

O instituto informa que, apesar de se tratar de vagas temporárias, é uma boa oportunidade para ganhar experiência e contar pontos para o currículo.

Compartilhe!
Tagged with:  

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Current month ye@r day *