Exposição mostra erros mais comuns cometidos pelas pessoas

Uma exposição que vai apontar os erros linguísticos mais comuns cometidos pelas pessoas, e, ao mesmo tempo, entender a causa desses erros, além de discutir a amplitude e criatividade da língua, será inaugurada nesta segunda-feira, 15, no Museu da Língua Portuguesa.

Sob o título Menas, a exposição, interativa, divertida e, sobretudo, provocativa, aproximará ainda mais o museu de seu grande público, segundo o diretor do Museu da Língua Portuguesa, Antonio Carlos de Moraes Sartini. “A intenção é mostrar os principais fatores que nos levam a fugir da norma culta do idioma e reforçar a ideia da existência e pertinência dos vários padrões de linguagem que devem, ou deveriam, ser dominados por todos, criando verdadeiros usuários poliglotas de uma só língua, no caso, a portuguesa”.

Para os curadores da mostra, os professores Ataliba Castilho e Eduardo Calbucci, Menas está na fronteira entre tudo o que não vale e o vale-tudo. Mesmo sabendo que “menos” é um advérbio, portanto, invariável, quantas vezes já não ouvimos a “concordância” com o gênero feminino por pessoas das mais diferentes classes e idades. Ataliba acha que esta é “uma oportunidade de expor os visitantes a um conjunto de situações linguísticas, convidando-os a refletir sobre os dados, tirando suas próprias conclusões”.

Quatro sistemas

A visita começa na gare (estação de trem) da Estação da Luz, antes de o visitante passar pela bilheteria do museu. Em 30 banners estarão grafadas diversas frases com erros ortográficos registrados no português popularmente falado no Brasil. Essa instalação receberá o título Portas Abertas e, de acordo com os curadores, tem o objetivo de deixar o visitante “com a pulga atrás da orelha”. Este será o passaporte para o que ocorrerá no local, durante a exposição que terá cerca de 450 metros quadrados, com outras instalações para enumerar os “erros” linguísticos mais comuns.

Entre elas, um painel de três metros por 12 metros, com a grafia dos 100 erros nossos de cada dia, divertida seleção de erros lexicais, semânticos, gramaticais e discursivos mais frequentes. O jogo do certo e do errado utilizará nove telas de computador touch screen, ligadas em rede, para a descoberta de palavras, expressões certas ou erradas. Na Biblioteca de Babel, o visitante terá contato com a língua como de fato ela é. Daí o título Biblioteca – que supõe a organização, as ideias no lugar, o já sabido – e Babel – o avesso de tudo isso.

Norma, a Camaleoa, outra instalação, aponta que dentro da própria língua há tensões e conflitos de visão de quatro sistemas: a norma gramatical, a norma lexical, a norma semântica e a norma discursiva. Por fim, a instalação Janelas abertas, mergulho no português brasileiro, faz com que o visitante retorne aos amplos espaços sociais onde é praticada nossa língua. Por exemplo, um corredor estreito leva ao final da exposição, onde há índices de uma rua de comércio popular e do linguajar praticado nessas ruas.

É um convite para o público conhecer a vida fora do museu. Menas será aberta ao público na terça-feira, 16, e segue até junho.

Serviço

Ingresso: R$ 6 (pagamento somente em dinheiro)
Estudantes com carteira do ano e documento de identidade pagam meia-entrada Crianças com até 10 anos, idosos a partir de 60 e professores da rede pública não pagam ingresso

Da Agência Imprensa Oficial

Compartilhe!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Current month ye@r day *