A cidade de Ilha Solteira localiza-se no extremo noroeste do estado de São Paulo, na margem paulista do Rio Paraná, logo abaixo da confluência com o rio São José dos Dourados. Mais especificamente, ela está próxima à divisa de São Paulo com o Mato Grosso do Sul. Fundada no dia 15 de Outubro de 1968, a cidade, inteirinha planejada, foi construída para abrigar os trabalhadores da Usina Hidrelétrica de Ilha Solteira. Ana Luiza Souza, monitora do posto do Acessa SP dessa pequena cidade de cerca de 25 mil habitantes, conta nesse texto como Ilha Solteira se transformou, de uma cidade de operários da Usina, em pólo tecnológico, estância turística e na “Capital da Cultura” do Brasil!


Sua infra-estrutura tem ruas organizadas, iluminação, água e saneamento básico para toda a população. Ilha Solteira foi construída e administrada pela CESP, Centrais Elétricas de São Paulo, e depois pela Cia Energética de São Paulo. Sua localização, próximo ao encontro dos rios Tietê e Paraná e à divisa com o Estado do Mato Grosso do Sul, é uma das mais importantes da hidrovia Tietê-Paraná, principal meio de transporte do Mercosul. Sua população estimada em 2004 era de 25.168 habitantes. Ilha Solteira Possui uma área de 659,4km².

A cidade começou a receber seus primeiros moradores no dia 15 de outubro de 1968, surgindo em razão do enorme contingente de mão-de-obra necessária à construção da Usina Hidrelétrica de Ilha Solteira. O nome da Usina e do núcleo urbano originou-se de uma ilha fluvial denominada “Ilha Solteira”, existente no rio Paraná. A cidade foi resultado de um planejamento urbano e manteve praticamente seu traçado pouco modificado, enquanto permaneceu sob administração da CESP.

Em outubro de 1970 a nomenclatura das vias e logradouros da cidade foi estabelecida de acordo com o mapa do Brasil, onde cada alameda corresponde ao nome de um estado e cada quadra, chamada de “passeio”, recebe o nome de um município do estado a que se refere à alameda.

Desde 1968, o núcleo urbano de Ilha Solteira pertenceu como Aglomerado Rural do Distrito de Bela Floresta, localizado no município de Pereira Barreto, até sua emancipação em 30 de dezembro de 1991. A dinâmica do mercado imobiliário começou a interferir nas modificações do espaço.

Ilha Solteira passou então a ter identidade própria, com mudanças significativas, assumindo sua autonomia. Foi elevada à categoria de Estância Turística em 13 de Abril de 2000 e decretada Ilha Capital da Cultura através do Decreto nº 2241, em 29 de Junho de 2001. E no dia 29 de Abril de 2005, através da Lei Complementar nº 877/2000, foi elevada à Comarca.

Ilha Solteira possui cultura e turismo ricos e diversificados, como consequência da miscigenação de brasileiros oriundos de várias regiões brasileiras para construção da UHE. A cidade se evidenciou culturalmente em âmbito regional e estadual devido à qualidade da sua produção cultural. Em meados de 2001, Ilha Solteira recebeu o título de “Capital da Cultura” em função da grande proporção de pessoas que tem alto grau de instrução, que estudam e/ou exercem alguma atividade artística-cultural no município. Na cidade ocorrem eventos de grande repercussão regional e até nacional, tais como: Feiras Agropecuárias e Comerciais, Feiras de Artesanato, Festivais de MPB, Torneios de Pesca Esportiva, Semanas das Engenharias, Reuniões e Congressos Técnico-Científicos.

Ilha Solteira é um dos 29 municípios paulistas considerados estâncias turísticas pelo Estado de São Paulo, por cumprirem determinados pré-requisitos definidos por Lei Estadual. Tal status garante a esses municípios uma verba maior por parte do Estado para a promoção do turismo regional. O município também adquire o direito de agregar junto a seu nome o título de Estância Turística, termo pelo qual passa a ser designado tanto pelo expediente municipal oficial quanto pelas referências estaduais. Assim, a cidade dispõe de hotéis, pousadas e casas de veraneio para aluguel, oferecendo também boas opções de restaurantes que servem pratos típicos da região.

Ilha Solteira é a única cidade em toda a América do Sul com um professor doutor para cada 150 habitantes. De cada 12 ilhenses, um é estudante. De cada 33, um é praticante de arte.

O município é um dos 23 que contam com campus da Universidade Estadual Paulista “Júlio de Mesquita Filho”. O campus Unesp de Ilha Solteira oferece oito cursos de graduação e oito cursos de pós-graduação, em torno da qual existe um grande centro de pesquisa responsável pelo desenvolvimento da tecnologia elétrica. Tal característica contribui para o fortalecimento do município como um pólo tecnológico. Há de se ressaltar, também, que a cidade de Ilha Solteira possui o vigésimo nono melhor IDH entre as cidades brasileiras.

Venham para Ilha Solteira, cidade única, com um povo hospitaleiro, aberta a todos que a visitam. Tem como marco o turismo, a tecnologia e a cultura. Aqui temos nossas praias artificiais e três grandes rios: o Paraná, o Tietê e o São José dos Dourados, que propiciam a prática de esportes náuticos e o lazer. Tem também a Usina Hidrelétrica, a UNESP e o Centro de Conservação da Fauna Silvestre, que nos lançam tecnologicamente à frente. E, o mais importante, temos a sensibilidade do povo ilhense, que se aflora nas mais diversas manifestações culturais. Considerando esta diversidade, atípica em relação a qualquer outra cidade do nosso porte ou até mesmo maior que Ilha Solteira, em 13 de abril de 2000 tornamos oficialmente, de acordo com o órgão estadual que rege este mérito, uma estância turística!

Sejam Bem Vindos! Podem vir que a Cidade é sua!

Usina Hidrelétrica Ilha Solteira

Situada no rio Paraná, a Usina Hidrelétrica de Ilha Solteira, a maior construída pela CESP, com 3.444.000 KW de potência final, compõe com a UHE Engº. Souza Dias, o Canal de Pereira Barreto e a UHE Três Irmãos, um dos maiores complexos hidrelétricos do mundo: Complexo Engenheiro Souza Dias com 5.802.700 KW de capacidade instalada final. Foi em Ilha Solteira que a engenharia nacional incorporou experiência e tecnologia que hoje continua a ser usada e desenvolvida nas obras de grande porte, a começar pelo planejamento acurado da infra-estrutura de logística e canteiro de obras, que permitiram a quebra de vários recordes de produção.

Localização: no rio Paraná, entre o Estado de São Paulo e Mato Grosso do Sul.

Serviço

Visitas todos os dias às 10h e às 15h (exceto feriados nacionais e prolongados)
Escolas e excursões, agendar visita com 30 dias de antecedência
Telefone: (18) 3743-7167/3743-7277

Como chegar

Chega-se à Ilha Solteira por 3 vias de acesso: duas para quem vem de São Paulo e uma que vem do Mato Grosso do Sul.

- Rodovia SP 310 (Via Washington Luiz e Via Feliciano Sales Cunha).
- Rodovia SP 320 (Via Euclides da Cunha).
- Via Washington Luiz – de Limeira a Mirassol.
- Via Feliciano Sales Cunha – de Mirassol a Ilha Solteira.
- Rodovia SP 300 (Via Marechal Rondon) até Castilho.
- Rodovia SP 595 – de Castilho à Ilha Solteira.
- Rodovia SP 563 – de Andradina à Rodovia SP 310.
- Rodovia BR 262 – de Campo Grande à Três Lagoas – MS, pegando-se a Rodovia SP 595.

Compartilhe!
Tagged with:  

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Current month ye@r day *