Projeto será lançado hoje na Paraíso; piloto está em Santa Cecília desde abril de 2009

Com flash mob, performance, ópera, balé clássico e uma big band de jazz, o Metrô lança hoje na Estação Paraíso o Projeto Encontros, espaço cultural com programação permanente que será implementado em outras 14 estações até o fim de 2011. O espaço piloto, instalado na Estação Santa Cecília desde abril de 2009, foi o primeiro passo para o projeto.

No Paraíso haverá área para exposições, arena para apresentações, espaço infantil e integração com a biblioteca.

Até o fim do ano, as Estações Sacomã e Corinthians-Itaquera também vão receber o projeto. Em todas as estações contempladas haverá painéis com a história dos respectivos bairros. Naquelas com nomes de times de futebol serão criados memoriais dos clubes, com homenagens a ídolos eleitos pela internet.

Segundo o secretário de Transportes Metropolitanos, José Luiz Portella, o objetivo do projeto é fazer com que o metrô, que já reúne serviços como as farmácias Dose Certa e os postos do Acessa SP, com computadores ligados à internet, tenha também um “lado cultural e de lazer”.

“Cada estação terá uma vocação artística, para que o público possa acompanhar as manifestações culturais com as quais se identifica”, explica Portella. “No nosso piloto, na Santa Cecília, o foco são os curta-metragens, a dança de salão e o teatro rápido. Na Estação Paraíso, a ideia é apresentar música clássica, jazz, ópera, que não é música comum. É a primeira vez que haverá ópera em um metrô.”

Programação. Vencedor da licitação de dez anos aberta pelo Metrô, o consórcio Bus Magia, formado pelas empresas Bus Mídia e Cinemagia, é o responsável pela implementação do projeto nas estações e pela programação cultural. A contrapartida para eles será a possibilidade de explorar a mídia das estações. No futuro, segundo o secretário, o projeto poderá ser estendido para estações da CPTM.

A programação da Estação Santa Cecília, antes organizada apenas pelo Metrô, também está sob o comando do consórcio. Lá, cerca de cem pessoas acompanham, às quartas-feiras, as apresentações e aulas de dança de salão. Segundo a diretora artística do Cinemagia, Vera Barbosa, a programação em todas as estações terá pelo menos duas ou três atrações por dia.

Em todos os espaços culturais haverá totens multimídia, televisores LCD com programação própria e mapas táteis dos arredores, produzidos pelas Faculdades Metropolitanas Unidas (FMU), com o apoio do Instituto Dorina Nowill. Em algumas estações, dependendo do espaço disponível, haverá cafeterias, revistarias e sessões de cinema.

Na Paraíso haverá também uma instalação holográfica com efeitos visuais interativos desenvolvidos especialmente para o projeto. A princípio, dois conteúdos serão apresentados. O efeito Água consiste na movimentação da água projetada conforme os movimentos de quem estiver interagindo na área de projeção, proporcionando a ilusão de estar de fato imerso na água. No jogo individual Futebol, o jogador interage com uma bola em um campo virtual.

“A programação é de primeiríssima qualidade. Vamos colocar o público em um contexto artístico, para ele poder usufruir a arte, que geralmente é elitizada”, explica Vera, do Cinemagia. “Não é à toa que a estreia é com uma ópera. Grande parte das milhões de pessoas que passam pelo metrô nunca teve a chance de ver uma ópera.”

Vera explica que a Cinemagia já começou a fazer parcerias com associações culturais como a Casa das Rosas, que contribuirão para a programação.

Arquitetura. Os projetos arquitetônicos dos espaços culturais são padronizados e foram elaborados pela arquiteta Vanessa Féres. Na Estação Paraíso, 300 arcos de madeira foram instalados. “A arquitetura do projeto é leve, permeável, aconchegante, não cria bloqueios como nas galerias de arte. Ela permite que se estabeleça uma relação do espaço com o visitante”, afirma Vanessa.

“Os arcos servem para criar caminhos, receber as exposições, dividir os vários ambientes do espaço cultural e também torná-lo mais democrático.”

Atrações de hoje

11h
Cantilena Paulistana. A banda toca sambas de Adoniran, Cartola e Nelson Cavaquinho

11h30
Dança das cores

11h55
Ópera e balé Carmen. Trechos da obra de Georges Bizet, com bailarinos da Companhia Brasileira de Dança Clássica e a cantora lírica Luciana Bueno

12h15
Big Jazz Band Heartbreakers. Grupo toca trechos do espetáculo Emoções Baratas, de José Possi Neto, com participação de duas cantoras. Grupo volta a tocar às 12h40, com músicas de Duke Ellington. E termina o evento com uma apresentação de samba, às 13h40

Serviço

Lançamento do Projeto Encontros. Estação Paraíso do Metrô (linhas 1-azul e 2-verde). A partir das 11h. www.metro.sp.gov.br

Compartilhe!
Tagged with:  

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Current month ye@r day *