Mais do que simplesmente abrir e fechar um posto, mas zelar pela correta utilização do serviço, cadastrar novos usuários e fazer registro de atendimentos e impressões. Essas são algumas das inúmeras tarefas dos monitores do Acessa São Paulo.

Rosana e Suzana Carolina, monitoras do posto de Agudos, fazem parte do time qualificado do Acessa SP

Responsáveis pelo atendimento direto ao cidadão paulista, os monitores do Acessa SP são capacitados para oferecer auxílio nos diversos usos da internet. Desde orientá-lo a utilizar as redes sociais, como a utilizar os serviços eletrônicos de governo. Atualmente são 1.138 monitores trabalhando nos 830 postos do Programa distribuídos por todo o estado.

O superintendente do Acessa SP, Emilio Bizon Neto, afirma que a função do monitor é fundamental para o que o programa cumpra seu objetivo de oferecer internet gratuita com qualidade. “O monitor é a alma do Acessa SP. É através do seu trabalho que todos nós avançamos com essa iniciativa cada dia mais útil na vida dos nossos quase 3 milhões de usuários”, fala Bizon.

Capacitação

Para que os monitores estejam sempre aptos a cumprir suas funções, o programa realiza uma tradicional capacitação, uma vez por mês, com duração de quatro dias, na qual os monitores podem interagir, trocar conhecimentos e debater questões que proporcionem a melhoria contínua do Acessa SP.

“Passar pelo processo de capacitação é essencial para que consigamos manter a excelência. Por isso, aqueles que ainda não participaram do curso, devem informar a situação ao gestor do posto, por e-mail, e aguardar as orientações”, explica o superintendente.

Rede de Projetos

Uma das funções do monitor é ser facilitador da Rede de Projetos. A Rede nasceu em junho de 2008 e atualmente conta com centenas de assuntos de interesse social disponibilizados por monitores e usuários de diversas localidades do estado.

São temas criativos e que despertam o interesse do cidadão. Através da Rede é possível aprender mais sobre informática, religiosidade, turismo, empreendedorismo, saúde, arte e cultura, solidariedade, entre outros.

Para ter um projeto em Rede, basta escrever a ideia e adaptá-la à localidade do posto. Qualquer pessoa ou grupo pode participar, seja monitor, usuário do programa, ONGs, empresas, ou grupos de estudos.

Exemplos

Um bom exemplo de projeto idealizado por um monitor, é o “Mulheres Assentadas, Mulheres Antenadas”, de Ana Luíza Peral, de Ilha Solteira.

O projeto foi criado há aproximadamente um ano e já beneficiou diversas moradoras de assentamentos de Ilha Solteira. Segundo a monitora, o objetivo era fazer algo que facilitasse a vida do grupo. “Muitas destas mulheres são responsáveis pelo sustento das famílias e por ocupar cargos de chefias em Associações de bairro. Pensei em como seria transformador levar a inclusão digital até elas e apresentá-las os benefícios proporcionados pelo mundo digital”, explicou.

O reconhecimento do projeto veio com o primeiro lugar na categoria Cidadania em Rede, na 10ª Edição do Prêmio Mario Covas, que aconteceu no dia 30 de junho.

Para participar do projeto, visite a unidade do Acessa SP no município, localizada na Praça dos Paiaguás, nº 153. Atendimentos de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h.

 

Serviço:

- A manifestação de interesse em participar da capacitação deve ser encaminhada por e-mail ao gestor – cshigemori@sp.gov.br

 

 

Compartilhe!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Current month ye@r day *