“A internet é um veículo de comunicação, mas também de aprendizagem”. É assim que Rogério Reis, monitor e projetista do posto que fica em Aparecida define o papel que a rede teve na elaboração do projeto “Curso de Eletrônica Básica em Áudio e Potência“, desenvolvido por ele ao longo desse ano. Rogério é apaixonado pelo tema desde a infância quando seu pai deixava-o brincar com aparelhos eletrônicos que não funcionavam mais. Foi nesta fase que desenvolveu o interesse em consertar rádios. “Ficava tentando consertar. Em seguida comecei a comprar revistas que vinham com kits e ofereciam problemas para os leitores solucionar. Percebi que em cada edição sempre tinha um problema que a solução só aparecia na seguinte, foi então que comecei a tentar resolver eu mesmo para não ficar gastando dinheiro todos mês”.

O participante Alex e o projetista Rogério Reis com um dos amplificadores construídos

A experiência vivida por Rogério comprova o que pesquisas voltadas ao estudo dos efeitos que o estímulo e o vínculo na primeira infância podem trazer como benefício no desenvolvimento de habilidades para as crianças. Segundo a pesquisadora e neurocientista americana Patrícia Kuhl, “toda criança vem ao mundo com uma curiosidade inata e pronta para aprender, mas se os pais não entenderem isso podem ficar distantes das oportunidades”. Ela defende que os estímulos recebidos dentro do ambiente familiar dividem em importância com os recebidos no ambiente escolar.

O impacto dessa percepção pode ser percebido ao longo do desenvolvimento da carreira de Rogério e do seu projeto no Acessa. Criativo e auto-didata, ele não enxergou dificuldades em criar um curso que tivesse como resultado final a construção de amplificadores de som, equipamentos que no mercado custam entre R$ 1.500,00 e R$ 2.000,00. Para reduzir os custos ao mínimo, colocou em prática tudo o que aprendeu como hobby de forma que o processo de aprendizagem fosse facilitado para qualquer pessoa que tivesse interesse.

Circuitos impressos no próprio posto do Acessa em impressora comum, técnica desenvolvida pelo próprio monitor

Algumas soluções adotadas no projeto são típicas do universo hacker: ao invés de comprar placas de circuito impresso ele produziu de uma forma artesanal utilizando papel fotográfico, placas de cobre reaproveitados de computadores descartados, folhas de sulfite e um ferro de passar. Também conseguiu coolers de pc’s reciclados e utilizou na construção do equipamento.

Rogério convidou amigos e usuários da biblioteca para participarem dos encontros. Inclusive duas crianças que estudam na escola vizinha ao prédio, os irmãos Paulo de 11 anos e Paloma de 16, cumpriram todas as etapas do curso e também construíram o seu amplificador. “No início eu não achava que eles conseguiriam mexer com isso porque eles são muito novinhos. Mal pude acreditar quando eles chegaram em casa dizendo que tinham construído um amplificador de som”, diz a sra. Ana Maria Beserra, mãe dos dois jovens participantes.

Outro impacto do projeto foi na economia local. Alguns participantes tiveram uma melhora em suas carreiras depois de participar das aulas. Alex Rogério Lima é instalador de ar condicionado e técnico em refrigeração. Mas agora, ele tem outra ocupação: “Agora eu comecei a consertar amplificadores aqui na região. Até o curso começar as pessoas tinham que ir até o Rio ou São Paulo para encontrar um bom tecnico. Com as explicações do Rogério eu consigo dar um bom atendimento e as pessoas economizam essa viagem”.

Os irmãos Pedro e Paloma apresentam o amplificador construído por eles. Ao fundo a mãe Ana Maria feliz com o resultado

As atividades do projeto deram um novo sentido a biblioteca onde está o posto e que recebeu todos os encontros. Quem chegava para pegar um livro no período noturno via pessoas trabalhando com cabos, caixas de metal e componentes eletrônicos. Segundo a bibliotecária Luiza Aparecida Chaves o curso deu um novo significado ao local: “com o avanço da tecnologia, as bibliotecas ficaram muito defasadas e todo mundo tenta encontrar um sentido para esses espaços. Quando o Rogério fez a proposta fiquei em dúvida se o barulho não poderia atrapalhar, mas o efeito foi contrário. As pessoas acabaram entrando por curiosidade e, além de pegarem informações sobre o curso, acabavam conhecendo a biblioteca. Alguns nem sabiam que nós existíamos.”

Rogério concluiu a primeira rodada do curso em setembro de 2015, mas já tem planos para o futuro: “Não posso parar. Já tenho quase 30 pessoas na lista de espera e devo começar a próxima turma em dezembro”. Além do trabalho presencial, o curso atrai pessoas de outros estados que acompanham através dos relatos que ele disponibiliza em sua página no portal da Rede de Projetos. “Disponibilizo o máximo de informações que eu posso. Assim mais pessoas podem aprender. O objetivo final do curso era mostrar a todos que é possível usar a internet como método de aprendizagem, pois muitas pessoas não sabem usá-la para enriquecimento do conhecimento intelectual e cultural.

Veja aqui vídeo sobre o projeto.

Serviço:

Acessa SP/Posto Biblioteca: Praça Padre Victor Coelho de Almeida, S/N – Jardim São Paulo

Atendimento: Segunda a sexta-feira, das 8h às 17h.

Mais informações: 12 3108 2442

Fotos e texto: Robson Leandro

Compartilhe!
Tagged with:  

Um comentário Posto de Aparecida oferece curso de Eletrônica Básica em Áudio e Potência

  1. gostaria de mais informações sobre o curso

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Current month ye@r day *