A Universidade de Guarulhos (UnG) está oferecendo bolsas de 100% em cursos de graduação e especializção a distância para mães de crianças com doenças raras. A iniciativa é parte do projeto Mães Produtivas, idealizado pela Aliança de Mães e Famílias Raras (Amar) e pelo Grupo Ser Educacional – mantenedor da instituição de ensino, por meio do Instituto Ser Educacional.

Várias instituições do grupo oferecerão 50 oportunidades, no Norte, Nordeste e Sudeste. Há opções de cursos de bacharelado, licenciatura e tecnólogo. O primeiro lugar a desenvolver o projeto foi Pernambuco, com 15 bolsas. Devido à alta incidência de casos de microcefalia no estado, cerca de metade das oportunidades foram destinadas a mães de crianças com essa patologia, que já realizaram as matrículasr.

Educação e profissionalização

“O Mães Produtivas será um dos mais belos e importantes projetos educacionais via EAD do país, pois possibilitará que mães com bebês com doenças raras, como a microcefalia, iniciem ou concluam os estudos sem que precisem se afastar dos filhos. Amor e educação andarão lado a lado”, comentou Sérgio Murilo Júnior, coordenador-executivo do Instituto Ser Educacional.

“A maioria das mães raras é cuidadora 24 horas por dia. Mães muitas vezes são chefes de família e, em nosso país, cinco milhões de crianças não têm o nome do pai em seu registro de identificação. Outra triste estatística aponta para o fato de que 70% das mulheres que recebem filhos com deficiência são abandonadas pelos maridos e tornam-se cuidadoras de alguém, em um processo exaustivo, cujo resultado muitas vezes se desdobra em doenças secundárias para a mãe, como depressão e síndrome do pânico”, relata Daniela Rorato, vice-presidente da Amar.

Para Germana Soares, moradora de Ipojuca e mãe de Guilherme, bebê com microcefalia, o projeto é uma grande oportunidade. “Antes de sermos mães, somos mulheres, com sonhos, objetivos e a vontade de nos sentirmos realizadas profissionalmente. A vida nos leva a caminhos que não escolhemos e atrasa essa desejada realização. O Mães Produtivas me dá esse recomeço”.

As mães de crianças com doenças raras dos estados participantes podem conhecer as graduações pelo site de EAD da UniNassau ou da UNG . Devem escolher um curso cujo pólo prsencial fique próximo de onde morem, pois apesar dos conteúdos e estudos serem online, terão de fazer atividades e provas nos polos.

Para mais informações, as mães precisam entrar em contato com a Amar, pelo e-mail amareagir@gmail.com ou pelos telefones (81) 3132-0650 e (81) 9-8448-8710. Realizada a inscrição, elas deverão comparecer ao polo responsável para validar a matrícula e receber instruções. O telefone do Grupo Ser Educacional é (81) 3413-4611.

(Com assessoria de imprensa)

Categorias: Notícias

Robson Leandro

Trabalha na Escola do Futuro da USP desde julho de 2006. Até maio de 2013 esteve no projeto Acessa SP passando pela Rede de Projetos, Formação (Programa de Capacitação Continuada) e pela coordenação do projeto. De 2013 até 2014 coordenou o ecossistema web da coordenadoria de juventude do estado de São Paulo. Retornou ao projeto Acessa SP em abril de 2015.

1 comentário

francisca eliana marinheiro dos santos · 04/10/2016 às 18:19

boa noite eu gostaria de saber porque nao vai ter essa bolsa pro centro-oeste sou mae de uma criança com sindrome rara e gostaria de ter essa oportunidade

obrigada!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *