O Instituto Crescer (IC) acaba de lançar a 5ª edição do Programa Aprender em Rede, iniciativa de fomento à prática de projetos colaborativos online para troca de experiências regionais e culturais entre escolas públicas e privadas. O programa tem uma versão em português e outra em espanhol. Além do Brasil, participam Argentina, Chile, Colômbia, Espanha, Honduras, Paraguai e Peru. O IC pretende incentivar o ingresso de outros países que tenham o português como língua materna, como Portugal e Moçambique.

Dois macrotemas fazem parte desta edição: Projeto Contadores de Histórias, voltado ao fundamental II, e Projeto Conhecer para Preservar: Animais em Extinção – Educação Básica Primária, para o fundamental I. “Esperamos que os alunos possam ampliar seus horizontes. Além da troca cultural, aqueles que escolherem participar de um projeto em outro idioma, terão ainda a oportunidade de praticá-lo com nativos, o que enriquece ainda mais o aprendizado e abre várias possibilidades”, diz Luciana Allan, diretora do Instituto Crescer.

Cada projeto terá comunidades específicas em português e espanhol, organizadas em grupos fechados no Facebook, administrados pelo IC e exclusivos aos professores inscritos, para o intercâmbio das atividades de seus alunos. Haverá também momentos de videoconferência entre as escolas.

As inscrições podem ser feitas aqui tanto para os grupos em português quanto em espanhol, podem ser feitas até 18 de abril, data de início das atividades. O cadastro e participação nas comunidades do Aprender em Rede são exclusivos aos professores, que devem ter o aval da escola e autorização dos pais para a troca e compartilhamento de informações online. O programa concede certificados de participação de 40 horas aos docentes que concluírem os projetos.

Categorias: AgendaNotícias

Robson Leandro

Trabalha na Escola do Futuro da USP desde julho de 2006. Até maio de 2013 esteve no projeto Acessa SP passando pela Rede de Projetos, Formação (Programa de Capacitação Continuada) e pela coordenação do projeto. De 2013 até 2014 coordenou o ecossistema web da coordenadoria de juventude do estado de São Paulo. Retornou ao projeto Acessa SP em abril de 2015.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *