Por sermos todos diferentes, não existe um padrão “certo” na hora de aprender. Cada pessoa apreende e interpreta os conteúdos que recebe do seu jeito. Entre as teorias que explicam as formas de aprendizado, o conceito VARK (visual, auditive, reading e kinesthetic, em inglês) divide estudantes em quatro categorias: visual, auditiva, leitura/escrita e sinestésica. Entenda cada uma:

Visual – Você já teve aquele amigo que não sentava para ler um texto e mesmo assim tirava nota boa? O que acontece é que existem pessoas que aprendem vendo! Isso mesmo. Seja por fotos, gráficos ou videoaulas. Elas gostam de imaginar conceitos a partir de imagens. Então, a velha tática de anotar só uma palavra, ou desenhar, é ideal nesses casos.

Auditiva  -  Tem também aquele estudante que não faz anotações durante a aula. Só ouve. Não se trata de fazer pouco caso ou de fingir prestar atenção. O auditivo só está trabalhando o cérebro da sua própria maneira. De todos os estilos, talvez esse seja o que mais se ajusta ao modelo tradicional de estudo na sala de aula. Uma dica para eles é gravar as aulas.

Leitura/escrita – Esse ainda não foi confirmado cientificamente como os outros, mas tem gente que defende com unhas e dentes. Muitos pedagogos e os próprios alunos alegam que esse perfil é eficiente porque, como o próprio nome diz, é baseado em leitura e escrita. Ou seja, todo o conteúdo dado em sala de aula ou estudado em casa, em algum momento vira um caderno cheio de anotações e explicações escritas. Resumos, revisões, fichas… Vale tudo! Só mais uma coisinha: ler e reler as anotações dá uma vantagem significativa porque ajuda a recordar o conteúdo.

Sinestésico – O aluno sinestésico precisa de estímulo externo, algo que o prenda. É a aprendizagem por meio dos sentimentos, do envolvimento, das emoções. São pessoas que enfatizam as situações no dia a dia e se baseiam mais em suas sensações e sentimentos do que em uma abordagem sistemática dos problemas e situações. Estágios ou trabalhos fora do comum são maneiras de ganhar esse aluno. Ele tem o pensamento amplo. Suas anotações são de acordo com seu raciocínio e não necessariamente com o que o professor diz em sala de aula.

Não se prenda em um só método. É possível que você tenha facilidade com um ou mais deles. O legal de entender todos é ficar ciente de como estudar de acordo com cada um e, assim, descobrir com qual mais se identifica. Se quiser um meio mais prático, existem testes online por ai. Esse aqui é um.

Com a compreensão de cada categoria, tanto o aluno como o professor saem ganhando porque a clareza de dar e receber a informação vai ser eficaz para ambos!

Fonte: Raleduc

Compartilhe!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Current month ye@r day *