A EMEF Odair de Oliveira Silva, escola rural no distrito de  Santo Antônio do Viradouro, a 20 quilômetros do centro do município de Meridiano, abriga o único local público da região que dispõe de sinal de internet: um posto do AcessaSP. Desde 2010, o antigo laboratório escolar foi modernizado e reequipado para se transformar em um ponto de acesso à tecnologia, aberto não apenas aos alunos, mas também a toda a comunidade – o que torna o posto, hoje, um importante agente de desenvolvimento do povoado de 400 pessoas.

De segunda a sexta, das 7h30 às 16h30, estudantes e moradores dos arredores se revezam no uso das máquinas, para fazer trabalhos escolares, redigir currículos, procurar emprego, fazer cursos online, entre outras atividades. Uma das frequentadoras assíduas do posto é Natália Matheus dos Santos, que faz o curso de pedagogia pela instituição de ensino a distância Unopar: “Tenho computador em casa, mas não tem internet. Aqui no posto eu assisto aula e baixos conteúdo para um pen drive”. Caroline Matheus dos Santos, estagiaria da EMEF Odair, também faz faculdade de pedagogia, na universidade Futura, em Votuporanga, e utiliza o posto para seus trabalhos acadêmicos.

A monitora Érica da Silva Tavares, 25, atua no posto há 3 anos. Antes, ela trabalhava na escola como faxineira. “Eu fiz capacitação do AcessaSP e hoje ajudo os usuários a mexer nos computadores, fazer pesquisas”, diz a jovem, que tem computador em casa e já tinha conhecimentos básicos de informática. É ela que libera a rede e o sinal Wi-Fi do posto. “As pessoas podem trazer seus próprios equipamentos para usar aqui. Tem um rapaz que faz faculdade online aqui, e traz o seu notebook”, conta.

Muito mais

O posto do AcessaSP na cidade de Meridiano, porém, vai muito além do simples acesso à web. Por sua localização estratégica – dentro de uma escola der ensino fundamental I – não poderia deixar de ter uma função vocacionada para a melhoria do ensino. Foi a partir dessa percepção que a diretora da escola, Jackeline Savazzi, e sua equipe idealizaram o projeto “Aprendizagem Digital”.

Mais do que uma preparação para uso das ferramentas computacionais, o projeto coloca a informática a serviço do ensino. Na prática, os professores elaboram planos de estudos para suas turmas, contemplando atividades no AcessaSP. “Quando o professor identifica um rendimento abaixo do esperado em alguma disciplina, por exemplo, prepara um roteiro de estudos utilizando os computadores, para motivar o reforço escolar”, conta a diretora. As atividades no posto são acompanhadas pela professora de informática da escola, Carla Beline. Assim, se a professora de matemática identifica que sua sala está com dificuldade em tabuada, ela então solicita à professora Carla que trabalhe algum jogo sobre tabuada na internet. Cada estudante tem uma ficha de acompanhamento, onde esses dados são tabulados e encaminhados para a Diretoria de Ensino da região.

Enquanto estudam, as crianças aprendem informática, realizando atividades como digitação de textos, navegação na internet, além de assistir vídeos sobre variados temas. O aluno João Gabriel, de 8 anos, aprendeu a baixar jogos no tablet, o que contribuiu para melhorar seu raciocínio lógico. Sua mãe, Luana da Silva Tavares, também frequenta o posto para consulta de CPF, emissão de nota fiscal paulista, pesquisar receitas.

Clique na imagem e veja todas as fotos do projeto “Aprendizagem Digital”.

Projeto Aprendizagem Digital - Meridiano

 

Categorias: Notícias

Robson Leandro

Trabalha na Escola do Futuro da USP desde julho de 2006. Até maio de 2013 esteve no projeto Acessa SP passando pela Rede de Projetos, Formação (Programa de Capacitação Continuada) e pela coordenação do projeto. De 2013 até 2014 coordenou o ecossistema web da coordenadoria de juventude do estado de São Paulo. Retornou ao projeto Acessa SP em abril de 2015.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *