Pesquisa Online (POnline) realizada com usuários do programa de inclusão digital AcessaSP mostra que houve uma inversão na faixa etária do público que frequenta os postos. Tem aumentado o número de pessoas mais velhas e reduzido o número de jovens.

Em 2011, no auge do programa, os jovens entre 15 e 24 anos de idade representavam 38% dos usuários, percentual que caiu 16 pontos percentuais, para 22% em 2017. O público mais velho, ao contrário, cresceu ano a ano. Em 2011, os usuários na faixa etária de 30 a 49 anos não passavam de 23%, percentual que subiu para 38% em 2017.

A pesquisa registra também aumento na frequência dos usuários acima de 50 anos de idade. Em 2011, apenas 4% dos que frequentavam um posto do AcessaSP estavam na faixa de 50 a 59 anos; em 2017, esse percentual subiu para 12%. Na faixa etária entre 25 e 29 anos, o percentual se manteve em 10% na média.

A POnline 2017 foi realizada entre o final de novembro e início de dezembro com 2.066 usuários do programa em mais de 500 postos da Capital e do interior. Cerca de 10,5% dos usuários que foram aos postos nos dias da aplicação da pesquisa responderam à enquete.

A mudança do público usuário para uma faixa etária mais adulta indica que os postos do AcessaSP são bastante utilizados para trabalhar ou procurar trabalho. O levantamento mostrou que 60% dos usuários foram a um posto, nos últimos 12 meses, para realizar atividades profissionais. Cerca de 15% dos usuários dos postos declararam que gostariam de abrir o próprio negócio, mas não sabem como, e 41% estavam sem trabalho e procurando emprego. Apenas 16,60% disseram que estavam empregados; outros 12,10% disseram trabalhar por conta, como autônomo.

Principal meio de acesso à internet

Ao todo foram aplicadas 35 perguntas de múltipla escolha. Uma delas indagava: “onde você acessou a internet nos últimos três meses”. Nada menos que 83,06% responderam que foi em um posto do AcessaSP. Apenas 34,17% informaram que acessaram a rede de um celular com 3G ou 4G e apenas 29,53% declararam ter acessado à internet de casa.

O objetivo do levantamento é identificar o perfil do usuário, suas expectativas e avaliar o programa. Os dados são usados pela Coordenação do AcessaSP para elaborar políticas públicas e aperfeiçoar o serviço de internet grátis no Estado de São Paulo.

Embora 52,86% dos entrevistados tenham declarado ter computador (desktop, laptop ou netbook) em casa, apenas 22,46% disseram que têm internet em casa. Dos entrevistados, a maioria tem celular pré-pago (64,62%) e apenas 13,60% tem celular na modalidade pós-paga.

“O perfil dos usuários mostra que o programa de inclusão digital criado pelo Governo do Estado permanece um serviço relevante, principalmente para a população de baixa renda e para os desempregados”, comenta José Valter da Silva Jr., coordenador de Serviços ao Cidadão, da Secretaria de Governo.

A POnline 2017 mostra ainda que:

• 58,67% dos usuários do AcessaSP têm renda familiar até dois salários mínimos
• 59,2% não estudam
• 28,2% estão cursando Ensino Fundamental, Médio, Técnico ou Superior
• 12,44% fazem outros cursos
• 11,13% têm ensino superior completo

O resultado da POnline retrata exatamente o perfil do usuário de internet no Brasil verificado em pesquisas nacionais relacionadas à inclusão digital. É o caso, por exemplo, do último levantamento da TIC Domicílios, pesquisa nacional realizada pelo Comitê Gestor da Internet. O último levantamento da TIC, de 2016, indica que persistem os padrões de desigualdade revelados pela série histórica da pesquisa: apenas 23% dos domicílios das classes D/E estão conectados à Internet, enquanto nas classes A e B estes são praticamente 100%. Já nas áreas rurais apenas 26% dos domicílios têm internet, frente a 59% dos domicílios das áreas urbanas.

O programa AcessaSP foi instituído pelo Governo do Estado no ano 2000 para prover o serviço de internet grátis para a população que não têm acesso à rede e é executado pela Prodesp (empresa de tecnologia do Estado). Os postos têm computadores e impressora e o serviço funciona com parceiros. Nos municípios, a maior parte dos postos tem parceria com as prefeituras. Outras unidades funcionam com outros órgãos estaduais como Itec, CIC, CPTM, EMTU e algumas secretarias estaduais.

Compartilhe!

Um comentário Muda o perfil dos usuários do AcessaSP

  1. João Antonio Dias Ramos disse:

    Bom dia! o resultado da ponline mostra que o uso da internet nos postos do acessasp melhora em termos de uso voltado à educação.Revela que foi um dos melhores programas de inclusão digital pois muitos ainda não teriam condições de acessar a internet e é muito utiliazado para população de baixa renda e desempregados.Mostra tambem um dado estarrecedor: quase 60% tem renda familiar até 2 salários mínimos e que 59% não estudam. É importante ressaltar que o monitor, alem dos atender os usuários, tambem realiza um trabalho gratuíto à comunidade realizando atendendo à população que precisa de um serviço disponível na internet como: Nota fiscal Paulista,atestados de antecedentes, agendamentos e muito mais. No nosso caso (Acessa- Piraju) atendemos cidades vizinhas devido os requerimentos de NFP que devem ser liberados pelo Procon. Parabens a criação do Acessa, pois é um exemplo de integração e cooperação entre o Estado, Prefeitura e a comunidade.

Deixe uma resposta para João Antonio Dias Ramos Cancelar resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Current month ye@r day *